Terça, 28 Setembro 2021

Facebook

Sindicato realiza novo protesto contra reestruturação do Banco do Brasil

Publicado em Banco do Brasil Terça, 26 Janeiro 2021 13:33

 

Nesta terça-feira (26/01), a diretoria do Sindicato dos Bancários de Niterói e região deu continuidade aos protestos contra o programa de reestrutura do Banco do Brasil que prevê o fechamento de centenas de agências e de cinco mil demissões.

 

A agência do BB na Rua Presidente Backer, no bairro de Icaraí, teve sua operação de atendimento retardada em uma hora para orientações aos funcionários sobre o desmonte que o Governo Federal vem provocando no banco.

 

Em todo país, vários são os movimentos contrários à reestruturação que enfraquece a presença do banco nos municípios brasileiros abrindo caminho para uma possível privatização. O sucateamento das agências e as demissões que irão provocar o esvaziamento de funcionários, também é pauta de discussões de parlamentares no Congresso Nacional. 

 

E não para por ai! Neste segunda-feira (25), o Banco do Brasil decidiu ampliar sua distribuição de dividendos em 2021. A informação foi divulgada em documento enviado ao mercado. De acordo com o documento, o percentual do lucro pago aos acionistas (payout) será de 40%. Sobre o resultado de 2020, o BB aprovou um payout de 35,29%.

 

O documento é assinado por Carlos José da Costa André, Vice-Presidente de Gestão Financeira e Relações com Investidores. “O valor do payout definido pelo Conselho de Administração considerou os balizadores constantes na Política, em especial, o resultado do Banco, sua condição financeira, a necessidade de caixa, o Plano de Capital e suas metas e respectivas projeções, a Declaração de Apetite e Tolerância a Riscos, perspectivas dos mercados de atuação presentes e potenciais, oportunidades de investimento existentes e a manutenção e expansão da capacidade operacional”, diz o documento.

 

O anúncio é feito no momento em que a direção do BB pretende fazer 5 mil demissões e fechar centenas de agências, postos de atendimento e escritórios. “Está explicada a reestruturação. O banco faz a reestruturação, mexe com a vida dos funcionários, retira salário das bancárias e bancários, mas aumenta os dividendos. Tudo para economizar R$ 300 milhões”, criticou o coordenador nacional da Comissão de Empresa dos Funcionários do Banco do Brasil (CEBB), João Fukunaga.

 

As manifestações continuam. Sempre que usar as redes sociais, poste a hashtag #MeuBBValeMais.