Quinta, 22 Outubro 2020

Facebook

74 anos de luta! Conheça a história do Sindicato dos Bancários de Niterói e região

Publicado em Sindicato Cidadão Terça, 15 Setembro 2020 10:13

 

5 de setembro de 1946. Nesse dia, nascia um dos sindicatos mais combativos do país: o Sindicato dos Bancários de Niterói e Região, que abrange 16 municípios entre a Região Metropolitana e dos Lagos do estado do Rio de Janeiro. Foram diversas lutas travadas em prol dos direitos do trabalhador. Hoje, em um momento de pandemia e tentativa de retiradas de direitos adquiridos, o coletivo de trabalhadores se mostra cada vez mais necessário para assegurar a unidade e força da categoria contra retrocessos.

 

Atualmente, são cerca de 4 mil bancários distribuídos em toda a base territorial do sindicato, que compreende as cidades de Niterói, São Gonçalo, Itaboraí, Silva Jardim, Rio Bonito, Casimiro de Abreu, Tanguá, Maricá, Saquarema, Araruama, Iguaba Grande, Arraial do Cabo, São Pedro d'Aldeia, Cabo Frio, Armação de Búzios e Rio das Ostras. A ampliação da área de abrangência foi feita em 1978, quando o Ministro do Trabalho da época ampliou a base de atuação da entidade incluindo os municípios de São Gonçalo, Itaboraí, estendendo até Cabo Frio.

 

Nesses 74 anos do sindicato, foram diversos marcos de luta em prol dos trabalhadores. E sempre com grande adesão da categoria, conseguindo paralisar 100% das agências da região. O sindicato é reconhecido nacionalmente pela força de sua mobilização, sendo um dos principais referenciais de resistência em defesa dos bancários.

 

"O Sindicato dos Bancários passou por períodos muito difíceis, em que comprovamos a nossa força. Muitos amigos foram perseguidos durante a ditadura militar. Em todos os momentos, estivemos e estamos do lado dos trabalhadores, não permitindo que direitos sejam perdidos. Mas é a união da categoria que faz a instituição cada dia mais forte. Por isso, a importância da sindicalização", acredita o presidente Jorge Antônio Oliveira, o "Porkinho".

 

Nesse momento histórico, é impossível não lembrar de ações como as paralisações em 1985 e 1987, quando os bancários foram às ruas e mostraram força na Rua Marechal Deodoro e na Av. Amaral Peixoto, no coração de Niterói, reivindicando melhorias na profissão. Outro marco foi a devolução do Imposto Sindical aos trabalhadores a partir de 2006.

 

Anos a frente, 2011 e 2012, o Sindicato dos Bancários de Niterói e Região foi recordista em reintegrar ou cancelar demissões de funcionários. Uma demonstração clara de que a defesa dos direitos dos trabalhadores é o que norteia as ações do sindicato.

 

Houve, ainda, participação fundamental do Bancários Niterói na conquista de direitos como a Participação nos Lucros e Resultados (PLR), em 1995; cláusula sobre igualdade de oportunidades na Convenção Coletiva de Trabalho em 2000; campanha nacional unificada, com bancários de instituições públicas e privadas em 2003; aumento real nos salários em 2004, após uma greve histórica de 30 dias de paralisação; valor adicional à PLR em 2006; 13ª cesta-alimentação em 2007; ampliação da licença-maternidade para 180 dias e mudanças no cálculo da PLR adicional em 2009, dentre outros.

 

Na última década, intensificou-se a luta contra o assédio moral. Nisso, o Sindicato dos Bancários de Niterói e Região foi destaque no Jornal Nacional (TV Globo) em 2010, ao ser a primeira entidade no país a disponibilizar um canal de denúncia de Assédio Moral para os bancários. 

 

Neste ano, de pandemia, o Sindicato dos Bancários de Niterói e Região foi fundamental para garantir a força da categoria durante a Campanha Nacional dos Bancários 2020. Ela foi realizada de forma virtual e os banqueiros vieram com total disposição para a retirada de direitos, com redução na PLR, nenhum reajuste e perda salarial, suspensão de cláusulas da CCT, dentre outros.

 

Através de mobilização digital, os bancários da base deram um sonoro recado: não ao retrocesso! E, com isso, os banqueiros tiveram que recuar e a categoria conquistou reajuste e abono, manteve a PLR na regra atual e garantiu todos os direitos da CCT.

 

Nos próximos 74 anos, o Sindicato seguirá como foi desde o primeiro dia: altivo, combativo, lutando em defesa do trabalhador. Por isso, fortaleça seu sindicato. Sindicalize-se. Categoria unida, sindicato forte!